quarta-feira, junho 5Notícias que importam
Shadow

Stella desenvolve capacidade de “drone kamikaze” nacional

Você sabia que a Stella Tecnologia, empresa brasileira especializada em desenvolvimento de tecnologia de Defesa, esta desenvolvendo novas capacidades para o maior drone da América Latina?  Sim, a empresa sediada em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, divulgou no final de janeiro, que esta preparando o Atobá, o maior sistema aéreo remotamente pilotado já produzido na América Latina, para que ele possa ser empregado como plataforma de dispersão de “drones kamizakes”, o que colocará a empresa como pioneira no Brasil.

blank

O Atobá, Sistema Aéreo Remotamente Pilotado (SARP) desenvolvido originalmente pela Stella para cumprir missões de vigilância, possui autonomia de  28 horas de voo, apresentando uma envergadura de 11 metros, comprimento de 8 metros e peso máximo de 500 kg, dos quais 150kg de carga útil.

O SARP brasileiro tem como foco o monitoramento de fronteiras e áreas de interesse, se mostrando um interessante ativo no cenário estratégico brasileiro, onde temos uma grande deficiência na capacidade de monitoramento de nossas fronteiras, se constituindo como uma atrativa opção nacional, o qual agora receberá capacidade de emprego armado.

 

blank

O conceito em desenvolvimento pela Stella, prevê a instalação de 8 hard points, sendo quatro em cada asa do “Atobá”, possibilitando ao mesmo carregar oito “Loitering Munitions”. Esses pequenos drones kamikazes, contam com uma pequena ogiva explosiva, capaz de causar danos relevantes a carros de combate, viaturas e concentração de tropas. Seu tamanho reduzido e a concepção de asas dobráveis, torna possível seu lançamento a partir do Atobá. Somando a sua manobrabilidade, baixa assinatura radar, baixo ruído, tornam esta Loitering Munitions uma letal arma, capaz de engajar alvos no solo, com perfil de ataque vertical, possibilita atacar carros de combate em um de seus pontos mais sensíveis.

blank

A nova capacidade pretendida pela equipe de engenharia e projeto da Stella, será um importante marco na indústria nacional de defesa, a qual será a pioneira no desenvolvimento de uma solução para emprego do moderno conceito de munições inteligentes, como é o caso dos drones kamikazes, colocando o Brasil no seleto grupo de países que produzem tal tipo de sistemas.

Os sistemas “kamikaze”, tem se mostrado eficiente solução contra concentração de tropas e meios, o qual ganhou destaque no conflito entre  Armênia e Azerbaijão, sendo um dos meios mais eficientes empregados naquele conflito e representando um excelente custo/benefício, atuando na coleta de inteligência e ataque a alvos.

A maior vantagem no emprego de SARP com capacidade de lançar armas de ataque (Kamikaze) esta no fato de se constituírem em meios difíceis de ser detectados, capazes de cruzar longas distâncias em território hostil e atingir posições inimigas que estão protegidas ou dissimuladas, o que não seria efetivo por outros sistemas. Além de atacar o inimigo, tal sistema pode realizar em tempo real a transmissão de dados coletados sobre as posições inimigas.

Atualmente o conflito entre a Rússia e a Ucrânia, tem confirmado as perspectivas sobre a eficiência deste sistema no moderno campo de batalhas, e o Brasil não pode ficar para trás neste importante campo tecnológico, com a Stella se destacando no desenvolvimento nacional desta estratégica capacidade.

 

Por Angelo Nicolaci

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *