terça-feira, junho 4Notícias que importam
Shadow

Portugal deve anunciar em breve a compra do “Super Tucano” padrão OTAN

No rumo das informações que o GBN Defense obteve durante a LAAD 2023, onde nossas fontes no governo português, havia nos dito que Portugal poderia anunciar durante o evento a aquisição de aeronaves A-29 “Super Tucano”, fato que não se concretizou, contudo foi lançada a variante “November” (A-29N), que seria voltada a atender aos padrões OTAN. Agora, passados três meses, finalmente começou a ganhar forma a informação que nos foi dada lá na LAAD 2023, onde a “Lei de Programação Militar” (LPM), já previa naqueles idos de abril, os requisitos para aquisição de uma Aeronave de Apoio Aproximado, onde o A-29N “Super Tucano” se encaixa com perfeição.

No último sábado (8), o jornal “Expresso” de Portugal, publicou sobre o assunto, e confirmou as informações que obtivemos durante a LAAD 2023, as quais seguramos até obter maiores detalhes e uma confirmação oficial do governo de Lisboa.

Segundo o jornalista português, Vitor Matos, o Ministério da Defesa português já tinha a decisão tomada em abril, quando em 24 de abril, o Primeiro Ministro português, António Costa e o Presidente brasileiro assinaram um memorando de entendimento para “o desenvolvimento de tecnologias relacionadas ao A-29N Super Tucano, variante lançada semanas antes durante a LAAD 2023, voltada para atender aos requisitos dos membros da OTAN.

Aquela altura, a proposta de Lei de Programação Militar (LPM), ainda em elaboração, já previa a compra de uma “aeronave de apoio aéreo aproximado”, de asa fixa para suporte de forças terrestres, como os comandos e os paraquedistas em missão da ONU na República Centro-Africana.

Segundo um documento anexo à proposta de revisão da LPM, da autoria do gabinete de Helena Carreiras, ministra da Defesa, a proposta de revisão da lei prevê €206,04 milhões para estas aeronaves “aptas a operar em ambientes instáveis, mas também em muitas regiões de África”, pois “proporcionam uma proteção armada ao movimento de forças terrestres, que efetuem ações de reconhecimento e de vigilância, com rapidez e em profundidade”.

Acredita-se que as negociações com a brasileira Embraer já estão avançadas, com o anúncio muito próximo de ocorrer, pois recentemente, a brasileira já ventilou em 26 de maio, que esta prestes a anunciar o primeiro cliente do A-29N, e na lista de interessados, citou que Portugal, Holanda e a Áustria, haviam avaliado o A-29N.

Um ponto a ser ressaltado, é que a produção da variante A-29N, será nas instalações da OGMA (subsidiária da brasileira Embraer), a qual já é uma importante parceira na produção de outra aeronave com grande potencial no mercado de defesa europeu, o KC-390, do qual Portugal se tornou o primeiro cliente de exportação, com a aquisição de cinco aeronaves, das quais, uma já está operando com a Força Aérea Portuguesa, abrindo as portas para o mesmo no “velho continente”.

Depois da compra de cinco aeronaves KC-390, por aproximadamente 872 milhões de euros, o que equivale a 4,8 bilhões de reais, agora o Ministério da Defesa português deve anunciar em breve o investimento de outros 206 milhões de euros na aquisição do A-29N “Super Tucano”.

A produção local da variante padrão OTAN, deve ser um dos fatores de peso para a assinatura do contrato, tendo em vista a criação de postos de trabalho de em Alverca, o que também representará um importante impulso a economia local, além da aquisição pela FAP servir como propaganda para que outros membros da OTAN adotem o A-29N.

 

Fonte GBN Defense

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *