quinta-feira, novembro 30Notícias que importam
Shadow

EXÉRCITO PARTICIPA DE EXERCÍCIO NO CONTEXTO DE DEFESA DO LITORAL

O Comando Militar do Norte (CMN) coordenou a execução da ‘Experimentação Doutrinária – A Força Terrestre na Defesa do Litoral’, atividade que contou com a participação do Ministério da Defesa e 56 organizações militares da Marinha do Brasil, Exército Brasileiro e da Força Aérea do Brasil.

A atividade ocorreu no período de 7 a 18 de agosto, simultaneamente nas instalações do Centro de Adestramento – Leste, na Guarnição da Vila Militar (RJ), e na sede da 22ª Brigada de Infantaria de Selva, em Macapá (AP). No CA-Leste foi realizado o trabalho conjunto, com as Forças divididas em dois grupos oponentes que realizaram um planejamento tático conjunto de ataque e defesa ao litoral do Amapá e da Foz do Amazonas, com base em um tema fictício de exercício. Em seguida, de forma inédita, foi utilizado o software de simulação “Combater” como ferramenta para o desenvolvimento das ações de combate das três Forças em um Jogo de Guerra.

blank

O exercício reuniu frações e meios dos módulos especializados do Exército, que agregam capacidades importantes no combate para atuar em ambiente multidomínio. O trabalho foi realizado nos três escalões de emprego da Força Terrestre (Exército, Divisão e Brigada), incluindo o novo conceito do Exército com as Operações de Convergência.

“Apesar de ser um exercício com foco no desenvolvimento doutrinário, contribuiu para nossa missão principal, a defesa da pátria. O ambiente operacional do exercício conjunto é estratégico para o Comando Militar do Norte, envolvendo a defesa do litoral do Amapá e da foz do Amazonas”, destacou o General Sá Corrêa, Comandante do Centro de Coordenação de Operações do CMN.

blank

A atividade contribuiu para o adestramento conjunto, destacando os planejamentos táticos, coordenações, integração e interoperabilidade entre as Forças Singulares, além de possibilitar as discussões doutrinárias e nivelar conhecimento no assunto, com avanços para a Doutrina Militar.

“A gente parte do princípio de que toda operação de defesa do território nacional é uma operação conjunta. Em alguns momentos teremos a prevalência de ações navais e, em outros, de ações terrestres. A Marinha do Brasil está sempre disposta a contribuir”, destacou o Capitão de Mar e Guerra Dirlei, Imediato do Comando do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais.

blank

“Ressaltamos que a Força Aérea teve uma participação efetiva durante todas as etapas da experimentação doutrinária. Tudo com o objetivo de operar sinergicamente com as demais Forças”, afirmou o Tenente-Coronel Fabiano, do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE).

 

Fonte Exército Brasileiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *