segunda-feira, junho 3Notícias que importam
Shadow

Embarcação foi flagrada e apresada pela Marinha do Brasil com mais de duas toneladas de haxixe

Na madrugada do último domingo (12), o Navio-Patrulha “Guaratuba” atracou na Base Naval de Aratu (BNA), com o veleiro “KIEL” em sua esteira. Este veleiro foi interceptado a 196 milhas náuticas (363 quilômetros) da costa de Salvador (BA), transportando uma carga impressionante de mais de duas toneladas de haxixe. A ousada operação conjunta entre a Marinha do Brasil e a Polícia Federal (PF) culminou na prisão dos quatro tripulantes brasileiros, agora sob a custódia da PF, que também efetuou a apreensão completa da substância ilícita.

Esta não é apenas uma apreensão comum; as mais de duas toneladas de haxixe representam a segunda maior apreensão desse tipo de entorpecente em águas brasileiras. O recorde anterior, estabelecido em 2021, foi protagonizado pelo Navio-Patrulha Oceânico “Araguari”, que apreendeu incríveis 4,3 toneladas de drogas a cerca de 360 km da costa de Recife (PE), em uma ação interagências com a PF, coordenada também com autoridades estrangeiras.

A eficiência da ação interagências foi evidenciada pela participação ativa dos Fuzileiros Navais e Agentes da PF, embarcados no Navio-Patrulha “Guaratuba”. A embarcação interceptada, o veleiro “KIEL”, agora permanece sob a guarda da Marinha na Base Naval de Aratu (BNA), enquanto aguarda o desfecho do trâmite jurídico que definirá seu destino final.

blank

Esta impressionante apreensão ocorre em um contexto em que a Marinha do Brasil intensifica suas operações de combate ao tráfico de drogas. Além do episódio envolvendo o veleiro “KIEL”, a Marinha participou, nos últimos dias, de outras ações no estado do Paraná. A primeira delas resultou na apreensão de 165 quilos de maconha, em uma operação denominada “Iguaçu”, coordenada em conjunto com o Núcleo de Polícia Marítima da PF, o Exército Brasileiro e a Capitania Fluvial do Rio Paraná (CFRP). A mais recente, no sábado (11), levou à apreensão de 175 caixas de cigarros contrabandeados do Paraguai, em uma embarcação no lago de Itaipu, com coordenação entre o NEPOM, o Centro de Operações Policiais Especiais da Polícia Civil do Paraná e a CFRP.

A Marinha do Brasil reafirma seu compromisso inabalável em proteger as riquezas nacionais e zelar pelo bem-estar de sua população.

Fonte Marinha do Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *